A reinvenção da TV

Aceitemos ou não, mas a TV como conhecemos está se tornando a segunda tela.

O consumo não linear da TV já é uma realidade. Não temos mais o filme publicitário veiculado na TV como o ponto central de uma estratégia de marketing.

Os anunciantes migrarão suas verbas para criação, produção e distribuição de múltiplos conteúdos, em vez de permanecerem na publicidade tradicional. Ou seja, estamos falando de marketing de conteúdo, muito conectado às comunidades citadas anteriormente, cuja performance será otimizada por sofisticadas ferramentas de análise e compra programática de mídia.

O pagamento por veiculação entrará em declínio e surgirá uma nova forma de remuneração das TVs, baseada em performance, que hoje em dia ainda parece algo difícil de se estabelecer, mas que se aproximará do modelo existente no mundo digital. Aliás, a TV caminha para se integrar cada vez mais à internet, e esse parece ser o real caminho para a reinvenção da TV. Não é por acaso que os jovens nos EUA já assistem mais YouTube do que TV paga.

Alguns estudos apontam que a redução do número de veiculação de anúncios comerciais seria uma saída para o aumento do consumo da TV, mas como diz Dan Lovinger, VP de Vendas de Publicidade da NBC Universal nos USA, “a carga de anúncios não é o problema real, a verdadeira questão é que as pessoas não valorizam os anúncios que estão vendo.”

Mauro Segura

 

Medium demite um terço dos funcionários e busca novo modelo de negócios

O Medium, uma plataforma para publicar textos autorais que cresceu 300% no ano passado, demitiu aproximadamente 50 funcionários da equipe, principalmente nos setores de vendas, suporte e negócios em geral. A plataforma que coloca na mesma página autores conhecidos mundialmente e escritores desconhecidos cumpriu parte de sua meta inicial, desenvolver um meio em que os usuários se motivassem a escrever bons conteúdos, e não textos rasos e não originais que vemos lucrar na publicidade online.

Apesar disso, segundo o CEO da empresa, Ev Williams, a construção do modelo atual do website não foi a solução completa para o problema maior, o de conseguir direcionar o lucro ao bom conteúdo. Continuar no mesmo caminho seria um risco ao Medium, de se tornar somente uma extensão do sistema quebrado já existente – a mídia voltada à propaganda, e não às pessoas.

A demissão em massa, aliada ao fechamento de dois escritórios, de Nova Iorque e Washington D.C, são algumas das medidas para abordar o problema maior. “Nós acreditamos que as pessoas que escrevem e compartilham ideias devem ser recompensadas a partir de suas habilidades de instruir e informar, não simplesmente pela sua habilidade de atrair alguns segundos de atenção”, disse o CEO a respeito da mudança para o novo modelo.

Agora como exatamente esse modelo vai funcionar, ainda não sabemos. Nem mesmo a própria empresa. Segundo o anúncio, o processo ainda não é claro e deve demorar algum tempo. Você pode ler o pronunciamento completo de Ev Williams em seu post.

por  – B9

 

Google Calendar vai te ajudar a ter uma vida mais fitness em 2017

Tela de 2 smartphone demonstrando o google calendar

Google Calendar vai te ajudar a ter uma vida mais fitness em 2017

Se você é daqueles que sempre promete ter uma vida mais saudável no ano novo que começa, bem, saiba que agora até o Google Calendar vai te ajudar nisso.

Em abril do ano passado o serviço disponibilizou para os usuários a possibilidade de marcar objetivos, por exemplo: ir para academia três vezes por semana. Mas agora a ferramenta também está integrada com o Google Fit e o Apple Health, para que todo o seu progresso e desempenho seja registrado e marcado como concluído quando você atingir suas metas de atividades.

Além disso o acompanhamento de performance do aplicativo também está de cara nova para mostrar o progresso do usuário. Outro ponto que vale destacar é que o Calendar agora organiza os melhores horários de treino de acordo com a disponibilidade de agenda.

Pra quem quer essa força, a atualização do app já está disponível tanto para Android quanto iOS.

por Rafael de Almeida – B9

 

Marketing de causa

Os novos consumidores esperam que as suas marcas de preferência pensem além de seus produtos e serviços. Eles esperam propósito, que a sua marca se comprometa com causas que beneficiam a sociedade e ajudem o mundo a ser um lugar melhor para se viver. Eles não aceitam apenas intenções, mas ações de fato que mostrem esse compromisso.

O marketing ganhará um papel social cada vez mais forte, exigindo novos conhecimentos, conexões e compromissos dos anunciantes com os interesses da sociedade, com o engajamento e a mobilização em torno de causas.

Essa não é uma transformação trivial, envolve cultura corporativa, transparência, coerência e visão de longo prazo, algo que toca o DNA das empresas e o compromisso de toda organização, ou seja, vai muito além de uma atividade de marketing ou comunicação.

Um bom exemplo é o caso da Libbs, que criou o projeto Tempo é Saúde para aprimorar o pronto atendimento aos pacientes do sistema público de saúde em Embu das Artes, onde estão as instalações industriais da empresa.

A forma como o projeto foi construído e executado é um exemplo evidente de uma empresa com propósito e coerente com seu posicionamento.

Mauro Segura

 

Trazendo métricas e anúncios para o Instagram Stories

Print da Tela do Instagram Stories

Em cinco meses desde o seu lançamento, o Instagram Stories cresceu consideravelmente. Agora, mais de 150 milhões de Instagrammers usam a plataforma diariamente. Além disso, o Stories tem contribuído para a geração de conteúdo e engajamento. Na verdade, um em cada cinco Stories recebe comentário via mensagem direta do Instagram. E quando as Stories são de empresas, há também um alto engajamento. Pessoas e negócios têm descoberto uns aos outros no Instagram, prova disso são os 70% dos instagrammers que seguem contas de negócios. Portanto, não é surpresa alguma que um terço dos Stories mais vistos são de empresas.

O momento para os Stories de empresas é claro, portanto o Instagram anunciou ferramentas capazes de mensurar a interação entre pessoas e histórias – métricas do Stories para perfis de negócios e anúncios de tela cheia nos Stories.

Métricas do Stories

Nas próximas semanas, as Ferramentas de Negócios do Instagram contarão com métricas sobre Stories orgânicos. Empresas que possuem um perfil comercial poderão ver o alcance, impressões, respostas e saídas de cada uma de suas histórias. Ao visualizar essas informações, elas poderão tomar decisões informadas e criar conteúdo ainda mais relevante para sua audiência.

Anúncios no Stories

Além de métricas, a plataforma também está trazendo anúncios imersivos em tela cheia no Stories. A publicidade nas histórias permitem usar recursos de segmentação, alcance e mensuração capazes de tornar os anúncios ainda mais relevantes para um público específico – algo sem igual em uma experiência do Stories atualmente.

Neste primeiro estágio dos anúncios em tela cheia no Instagram Stories, eles irão testar com cerca de 30 cliente em todo o mundo, incluindo: Skol, Netflix, Coca-Cola, Capital One, General Motors, Buick, Nike, Yoox e Qantas. Hoje, cerca de 70% das histórias assistidas são com som ligado, o formato imersivo de tela cheia gera uma interação como nunca antes.

Isso é apenas o começo

Anúncios no Instagram Stories serão lançados globalmente para objetivos de negócios focados em alcance e para as demais interfaces nas próximas semanas. Depois dessa fase, a plataforma irá ajudar negócios a atenderem outros objetivos de negócios com opções de direct response disponíveis nos próximos meses.

 

Marketing da experiência

Ação da Samsung de Marketing de Experiência

As novas tecnologias permitem entregar experiências personalizadas e únicaspara as pessoas, que desejam desenvolver diálogos e relações de valor com suas marcas de preferência. As pessoas não querem ser coadjuvantes, e sim protagonistas no relacionamento com suas marcas de preferência. Os exemplos são muitos. A tradicional Hershey’s está utilizando impressoras 3D em suas lojas para desenvolver chocolates personalizados em tempo real para seus consumidores. A Lufthansa criou uma experiência para os seus clientes através de óculos de realidade virtual. Muitas vezes o marketing é feito de forma não tradicional, como a Netflix, que, ao invés de investir nas mídias tradicionais, opta por fazer o “seu marketing” em cima da sua própria base de dados promovendo os seus produtos, além de criar promoções diferenciadas para que os seus próprios usuários sejam propagadores de suas séries e programas. Não é por acaso que a Netflix ganhou recentemente da Advertising Age o primeiro lugar no ranking das marcas do ano.  Por outro lado, o marketing da experiência também por ser analisado pelo viés do marketing de serviços. Talvez o melhor caso de todos ainda continue sendo a Amazon, que cria um relacionamento extraordinário com seus clientes através de uma experiência única de e-commerce, onde muitas vezes o que a Amazon nos oferece são apenas informação e serviços, como por exemplo, ao nos dar acesso às incríveis comunidades de customer review sem nos pedir nada em troca. Isso é serviço. Isso é experiência. Isso é marketing.

 

Técnicas de Marketing de Conteúdo para usar com influenciadores

Jovem escrevendo em quadro branco fluxos de trabalho

Muito tem se falado em marketing de conteúdo, que é aquele tipo de marketing que tem por conceito manter o público-alvo engajado em uma determinada marca, um serviço ou um produto. É por meio do marketing de conteúdo que o empreendedor consegue se relacionar com os seus clientes com uma maior interatividade, inclusive, aumentando o número de clientes em potencial.

Diante do grande número de pessoas que utiliza as redes sociais no cotidiano, bem como graças à convergência on-line das mais variadas mídias destinadas à publicidade, o marketing de conteúdo é a bola da vez quando a conversa é empreendedorismo. Além de trabalhar com conteúdo, outra característica desse tipo de marketing é o fato de que ele funciona muito bem também com a atuação dos influenciadores, que são aquelas pessoas que ajudam a consolidar a marca ou o produto na mente do público-alvo.

Nesse caso, é possível contar com algumas técnicas que ajudam a atrair cada vez mais possíveis clientes com a ajuda de influenciadores.

A importância dos influenciadores

Os influenciadores sempre foram relevantes quando o assunto é marketing. Ou seja, se no marketing tradicional eles já eram importantes, no caso do marketing de conteúdo, que se apoia muito no meio on-line, eles têm um papel primordial para replicar ainda mais seu conteúdo.

Na atual era da internet, os influenciadores fazem parte do seleto grupo que conta com milhões de seguidores em seus canais on-line e em suas redes sociais. Não por acaso, eles são formadores de opinião, influenciam comportamentos e são assistidos e ouvidos por uma grande audiência na internet.

Cada segmento específico conta com seus influenciadores. No caso dos games eletrônicos, por exemplo, um influenciador pode ser um blogueiro muito conhecido ou um youtuber que possui várias pessoas inscritas em seu canal. Enfim, na época dos compartilhamentos e das curtidas em redes sociais, um influenciador é a pessoa que tem muitos seguidores e muitos fãs engajados. Por isso, conhecer as técnicas para usar em sua estratégia de inbound marketing junto com os influenciadores no marketing de conteúdo é algo essencial para alcançar o sucesso. Afinal, é o influenciador que falará da sua marca ou do seu serviço diretamente com o público-alvo.

Sugestões

– Que tal lançar um vídeo patrocinado no Youtube sendo apresentado pelo influenciador e postado no canal dele? Sua marca pode ganhar uma repercussão espontânea grande, além de ser bem-visto pelo público-alvo do influenciador.

– Ou ainda, que tal fazer uma transmissão ao vivo pelo perfil do influenciador, visitando sua empresa ou com algum tema relacionado a ela?

– Caso o influenciador tenha um blog, é bacana fazer um post patrocinado e pedir para o influenciador postar os links em todas as redes sociais dele; pode gerar muito tráfego!

Como encontrar o influenciador certo para você

Na era do marketing de conteúdo, os influenciadores estão nas redes sociais, nos blogs, enfim, eles estão nas mídias on-line em geral. É bom traçar um planejamento para encontrar o influenciador que mais combina com a proposta da sua empresa. Por isso, é importante pesquisar sobre a popularidade e também sobre o histórico dele, ver como ele interage com os seguidores, como é o engajamento dos fãs dele, entre outros detalhes.

Para atingir o público-alvo ideal de seu negócio, novas técnicas de marketing tem sido usadas. Com um bom planejamento estratégico e utilizando-se do carisma dos influenciadores, o marketing de conteúdo tem muito a oferecer para o seu negócio.

 

 

Marketing Personalizado

Acabou a era do sofá. O consumidor não aceita mais mensagens genéricas e dispersas. O modelo da máquina de marketing baseada no tiro de canhão está em declínio, ainda continuará sendo efetivo em diversas situações, mas perderá espaço junto com a TV aberta e outras mídias sem personalização. Entramos na era do marketing individualizado. Isso funcionará para todos os segmentos, inclusive para empresas que têm milhares ou milhões de clientes, que dependerão do uso intensivo de ferramentas tecnológicas para conhecer profundamente cada cliente e desenvolver relacionamentos personalizados em tempo real. Por trás disso está a geração de conhecimento a partir da enorme massa de dados que temos a nossa disposição. Cada vez mais os consumidores nos alimentam, conscientemente ou não, de suas preferências, aspirações e sonhos. Como disse o Pyr, no excelente artigo “5 Big Trends to Watch”, data science vai virar feijão com arroz. Enfim, a personalização só será possível com a adoção massiva de novas ferramentas de automação de marketing.

Mauro Segura

 

Comunidades ganham protagonismo

Quadro em forma de globo com diversos espaços com fotos de rosto de pessoas

As comunidades de consumidores são cada vez mais influentes na decisão de compra, roubando espaço da tradicional publicidade. O consumidor tem voz e está cada vez mais social, não é por acaso que as pessoas confiam mais na opinião de um desconhecido em uma comunidade qualquer do que a mensagem veiculada em uma peça publicitária. As comunidades fortalecidas são viabilizadas pela tecnologia, têm alcance global por serem online e funcionam em tempo real. A tendência é que tais comunidades alcançarão maior protagonismo, permitindo a cocriação de produtos e serviços de suas marcas de preferência, atividade essa que hoje em dia ainda está muito mais na teoria do que na prática. A pesquisa “9 Tendências para o Varejo”, publicado pela Dunnhumby, consultoria especializada em ciência do consumidor, afirma que 50% das pessoas já tomam suas decisões de compra com base em avaliações online de consumidores. E faz uma recomendação para as marcas: mudem o pensamento de adquirir conhecimento “sobre” o cliente para adquirir conhecimento “dos” clientes. A consequência é que o marketing das empresas estará cada vez mais conectado às comunidades de consumidores, fazendo com que parte do investimento publicitário migre para esses novos canais de forma mais acelerada do que atualmente ocorre.

Mauro Segura

 

Atualização do Snapchat tenta descomplicar aplicativo

O Snapchat lançou essa semana uma nova atualização no aplicativo para iOS que faz diversas mudanças na interface. As mudanças, que para usuários beta do aplicativo no Android já eram conhecidas há algumas semanas, tem como objetivo permitir uma navegação mais fácil e foco em descobrir novos conteúdos.

Uma das mudanças significativas foi a introdução de uma barra de busca no topo da tela. Com ela, o usuário consegue buscar mais conteúdo, encontrar grupos e amigos e mandar snaps de qualquer página do app. Essa é uma medida para simplificar o aplicativo: menos trocas de telas, mais agilidade.

Agora também é mais fácil encontrar os canais Discover e enviar snaps para o Our Story, aquelas seleções feitas pelo próprio Snapchat quando eventos especiais acontecem, como as Olimpíadas.

O update vem principalmente para tentar amenizar as reclamações (provavelmente de quem não é millenial) de que o aplicativo é complicado demais. Em tempos em que o Instagram Stories atinge 150 milhões de usuários diários, é bom o Snapchat se cuidar.

por Leonardo Muraoka – B9