Escolha uma Página

Nos últimos anos, o líder de marketing compulsoriamente deixou o seu aquário e descobriu que o seu sucesso passou a depender da sua capacidade de desenvolver estreita colaboração com outras áreas dentro da empresa.

O CMO se tornou o melhor amigo dos líderes de Vendas, TI, Finanças, RH, Desenvolvimento de Negócios, Customer Service e outras áreas da organização. Mas isso não vem ocorrendo somente dentro das paredes das empresas.

Conforme dito no item anterior, o novo ecossistema vem exigindo uma capacidade incrível de integração por parte dos profissionais de marketing junto a um número cada vez mais de parceiros e fornecedores.

O marketing se tornou uma colcha de retalhos e muito sofisticado. Tal contexto vai exigir dos times de marketing, especialmente dos líderes, uma especial capacidade de orquestração e coordenação, com notória habilidade na gestão de conflitos e projetos complexos. Já foi o tempo do CMO solitário, autônomo e todo poderoso.

Vivemos a época do CMO integrador e conciliador. Como diz a Ann Mukherjee, CMO da SC Johnson:

“Estamos no negócio de monetizar o comportamento humano. Temos de orquestrar a organização em torno dessa missão.”

Pesquisa publicada pelo eMarketeer.com mostra que o maior obstáculo para o atendimento aos clientes é a falta de uma visão centrada no cliente por parte das empresas.

Mauro Segura